DOUBLE UNDERS - QUAIS CUIDADOS DEVO TER?

métodos de recovery, mobilidade & aquecimento, treinamento & coaching, treinamento funcional -

DOUBLE UNDERS - QUAIS CUIDADOS DEVO TER?

Por Bruna Duarte Lopes

O queridinho de uns, e o pesadelo de outros. Ele é um dos movimentos que mais exige coordenação motora, condicionamento físico, resistência muscular e além de tudo muita concentração.

Mas como todo o resto, nada que muito treino não ajude. Aqui que mora o perigo! Diferente de outros movimentos ginásticos ou levantamento de peso, os double unders, ou mesmo single unders, geralmente são executados em alto volume durante um treino - exatamente por isso você raramente verá treinos em dias consecutivos com esse movimento. Inclusive quando em processo de aprendizado é um movimento realizado em alto volume, mesmo com reps não tão bem sucedidas.

Dentre as lesões mais comuns estão as famosas e temidas tendinites e fraturas por estresse. Muito temidas pois quem já teve ou conhece alguém que teve sabe como pode ser lenta a recuperação além de causar dor em atividades simples podendo limitar atividades diárias e comprometer a performance em outros movimentos.

A causa dessas lesões não está relacionado somente ao alto volume, na verdade o volume durante os treinos é planejado para melhorar capacidade física dos atletas, tanto profissionais como amadores. O real problema é quando o alto volume está vinculado a alguma alteração biomecânica gerando uma maior sobrecarga em determinadas estruturas.

Um dos exemplos mais comuns é a deficiência de glúteo/estabilizadores de quadril, que durante os movimentos não realizam a sua função gerando um mal posicionamento de quadril, e consequentemente, de joelho, causando uma sobrecarga na tíbia e nos músculos estabilizadores de tornozelo. Sim, uma deficiência de uma estrutura pode causar um problema sério em outra bem distante, afinal nosso corpo é todo interligado, e é por isso que treinando movimentos funcionais nós conseguimos obter melhores resultados.

Outro exemplo é a falta de mobilidade de tornozelo, não permitindo que os músculos dessa região realizem um bom trabalho durante a execução ou não consigam se recuperar facilmente após a realização do treino.

Além de exemplos mecânicos como esses temos outras causas, como o excesso de sobrecarga naquela musculatura específica por não respeitar o tempo de recuperação. Essa é muito comum em atletas iniciantes com movimento em processo de aprendizado. Eles acabam realizando diferentes treinos em paralelo sem orientação (exemplo: double under no box e corrida no parque no dia de descanso), acreditando que treinar todo dia irá ajudar e esquecem que uma parte muito importante do treino é o tempo de recuperação.

Caso você apresente alguma lesão relacionada ao double under, single under ou atividades de impacto, reveja todo o histórico da lesão e converse com o profissional que irá te ajudar nessa jornada - use todas as ferramentas que ele te passar para que você se recupere o quanto antes e retome os treinos totalmente e aproveite para aprender mais sobre o seu corpo, muitas vezes você teve uma ou mais causas relacionadas que te trouxeram até aqui, se você não solucionar todas elas o risco de reincidência ou do surgimento de novas lesões é enorme.

Se você nunca sofreu nenhuma dessas lesões, ótimo! Continue assim! Mas nunca se esqueça de valorizar o seu período de recuperação. Não se esqueça também que fazer um trabalho preventivo para identificar como você pode evitar algo que vai te impedir de treinar e melhorar sua performance no esporte é muito válido. Pequenas doses de prevenção são bem melhores do que o tratamento de qualquer lesão.


Deixe um comentário